Blog da Crédito Folha

5 dicas para não cair em golpes na hora de pedir um empréstimo

O empréstimo pessoal é uma forma  de muitas pessoas cumprirem seus sonhos e objetivos. Para que nada saia errado é preciso ter calma e analisar uma série de características – principalmente pelos golpes que corriqueiramente acontecem quando a pessoa se encontra em uma situação delicada ou não conhece muito sobre esse tipo de negociação.

Felizmente há métodos concretos de evitar essas ações maliciosas que podem comprometer o recebimento do seu dinheiro.

Neste artigo, abordaremos exatamente isso, trazendo 5 dicas para não cair em golpes na hora de pedir um empréstimo pessoal. Além de não ter futuras dores de cabeça, você ainda poderá encontrar a melhor linha de crédito com os passos que listaremos a seguir.

1. Contrate apenas em ambientes seguros

A primeira e primordial dica é: faça empréstimos pessoais apenas com quem é referência no assunto. E isso não inclui apenas as instituições financeiras, mas também as plataformas de créditos que têm formalmente parcerias com instituições financeiras e um bom portfólio de clientes. Nas duas situações você só tem a ganhar.

Isso porque as instituições financeiras são  autorizadas e reguladas pelo Banco Central, enquanto as plataformas de crédito são intermediadores oficiais. Uma procura pelo CNPJ, endereço e contato com quem deseja contratar o empréstimo evita cair em golpes.

2. Desconfie de ótimas oportunidades

Um método que todos devem fazer para contratar um empréstimo pessoal é pesquisar. E, durante essas pesquisas, algumas condições podem ser ‘milagrosas’, com oportunidades de juros baixíssimos e quase nenhuma taxa ou encargo.

Desconfie, sempre, quando há esse tipo de opção. Isso porque, apesar dos juros e taxas variarem, as instituições e plataformas de crédito seguem uma média aproximada praticada pelo mercado em questão. Opção muito vantajosa? Fuja para não cair em um golpe.

3. Nunca deposite antes

É de praxe que ações fraudulentas peçam um depósito antecipado para ‘abater’ parte do valor. O que isso significa? Se você pensou em golpe, acertou: nenhuma operação de crédito pessoal pede qualquer quantia  em garantia antes de você receber o valor emprestado.

Em alguns casos é mais visível esse golpe: quando, além de pedir o adiantamento, a ‘empresa’ ou ‘intermediador’ do negócio não faz nenhum tipo de cadastro ou pesquisa. Novamente, não caia nessa fraude.

4. Leia o contrato

Sabia que é possível cair em golpes até mesmo de instituições financeiras com ‘bom nome’? Alguns podem não considerar a ação fraudulenta – como a própria justiça – mas, se analisarmos, não há nada de ortodoxo em colocar cláusulas no contrato sem explicá-las.

Por isso nunca, em hipótese nenhuma, assine qualquer coisa sem ler atentamente o documento de empréstimo. É uma segurança que impede que, mesmo se você ganhar uma ação contra a instituição, te tirará tempo e paciência – ou, podendo até perder na esfera judiciária.

5. Opte pelo consignado privado

Se você é funcionário de uma empresa que possui o consignado privado, opte por essa opção. Isso porque a segurança e o ‘antídoto’ contra golpes em empréstimos são bem trabalhadas pelas empresas que fazem essa intermediação.

Outro motivo é que o consignado privado, mais que um empréstimo pessoal, é descontado em folha, garantido que você não pague juros em caso de atraso; e, por fim, limita uma porcentagem da sua renda, com um teto, para esse fim. E melhor de tudo é que os juros no consignado são muito mais baixos.

Se sua empresa, ainda não aderiu a essa modalidade de crédito que só  cresce (ou se você é empresário e quer saber mais), entre em contato para mais informações. Cadastre sua empresa no nosso site e saiba como ter acesso a este benefício.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.